terça-feira, 22 de janeiro de 2008

aicnêdicehnoC <-------



Sinto pena dela (não deveria), ela vive um conflito aos 40 anos de idade, ou seja, ela ainda vive, assim como eu, que tenho 18 (amo isso), e possuo conflitos que entrelassam com os dela e nos une, devemos romper nossas barreiras, fazer o que justamente não temos coragem, ser o que nem Deus acredita que somos, falar o que jamis falou ou pensaria ter coragem pra falar, vamos em frente mãe, você e eu temos a obrigação de nos amar, e assim, como eu e Deus quisemos, nos amamos, e assim será até os ultimos dias, vamos terminar com isso nessa vida, fácil e cloriosa que temos, vamos aproveitar e resolver esse carma, vamos tirar esse peso de nossas costas, se você é minha mãe só me resta enxergar isso em você e aceitar que o nosso amor rompe todas as barreiras, que devemos mesmo ser assim, mãe e filha, e não meras conhecidas (isso não é conhecidência).



conversamos ontem, como ela me abriu os olhos, ela é uma ótima mãe, vamos ver até onde dura isso.

2 comentários:

.linny disse...

mãe para mim é meu ontem e sempre.

cultivo isso, mesmo não a tendo ao meu lado.

te adoro, um beijo!

janpiter inzaghi disse...

Acredito que só nos desentendemos com quem amamos. E por isso brigamos para que tudo fique bem. Quando não amamos, apenas ignoramos.
Há coisas que só o tempo dão jeito.
Que ele esteja em favor de você.
Deus está.

beijo e um abração!