terça-feira, 1 de abril de 2008


Quando ela percebeu que ele estava pra baixo logo pensou que era sua culpa e se sentiu na obrigação de fazer algo pra ele, por ele. Ela sabia que poderia faze-lo feliz, “agente sempre pode”, repetia em sua mente, bastava querer. Digitando e parando para pensar um pouco, ela não sabia o que escrever pra ele, sua mente vazia, pobre em palavras, procurava mas não encontrava a correta, talvez ela nem existia ali ainda. A escolha de tentar faze-lo feliz, ser feliz, era sua, porém, ela não queria, estava apenas se deixando levar pelos acontecimentos, vivendo o agora. Estava tão preocupada com problemas alheios que acabava esquecendo de si, talvez fosse bom parar de pensar apenas nela e em seus problemas fúteis.

4 comentários:

.linny disse...

essa foto que vc postou hoje, eh tao bonita aq na cidade tem um comercial de motel com ela. rs

o texto? simplicidade.

OgrO disse...

Nenhum problema é fútil. Só o dos outros.

pimentinhabm disse...

eu pego problemas dos outros pra resolver
um pessimo habito!
=*

kami! disse...

Não acredito que existam problemas futeis, ainda mais quando são os nossos!
Mais é bom de vez enquando pensar nos outros...de vez enquando!kkk
Bom seria poder tornar isso um habito frequente, mais os nossos problemas "futeis" já nos ocupa a maior parte de tempo!
Bjussssss