terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Tipo diário



Hoje não estou nem um pouco afim de escrever, principalmente coisas emocionantes, tipo que saem do fundo da alma, com palavras bonitas, que nos fazem chorar ou sorrir, não, não to afim de escrever isso.
Hoje to com vontade de escrever de mim, de uma forma simples e sem curvas.
Eu não me sinto feliz a muito tempo, não que tenha motivos pra isso, mas também não tenho um motivo concreto para dizer, ‘sou uma pessoa feliz, me sinto realizada’. Vivo um dilema, um problema, um... sei lá como digo isso, que nome coloco, não sei, desde que meu namorado me deixou, depois de uma traição e um ano de vai e volta, brigas e tudo mais, me amarrei a ele, vários textos meus são para ele (+ isso nem quero falar agora), esse assunto deve ser enterrado, o negócio é que sofri muito, e mesmo assim não conseguia esquecer ele, e machuquei mais a mim, começei a comer feito louca e engordar muito, não conseguia gostar de ninguém, chorei por meses e meses, sonhava com ele todos os dias, o via e chorava, parei de gostar de mim, foi horrível, mudei. Isso já faz 2 anos, na verdade vai fazer dia 24 de april.
Ano passado foi um ano ‘bom’ pra mim, começei a trabalhar, descobrir o mundo da leitura, a blogosfera, e mesmo assim me sinto infeliz comigo mesma, quase uma depresão, porque sinto que não consigo fazer nada, e eu ao menos sei o que quero e pra que vim aqui, pra que sirvo, sinto que não sirvo pra nada, e esse conflito comigo mesma não passa, que droga, isso tira toda luz de mim, eu consigo perceber, as pessoas me olham como se eu não existisse, não tenho luz, nada que me chame atenção, sou gorda + mesmo assim sei que alguns me acham bonita, as vezes até eu me acho bonita, sou jovem porra, tenho algo de belo em mim, + não sou feliz, dever ser por isso que ninguém me vê.
Mês passado fui numa cartomante, + pra benzendeira, ela me abriu os olhos, ele não me disse nada do que iria acontecer futuramente, só me deu conselhos, como se fosse uma amiga, que escuta a hitória da outra e diz o que acha melhor, meus problemas não acabaram por isso. Semana passada estive lá mais uma vez, eu estou impregnada de coisas ruins, espiritos ruins, a irmã dela me disso que eu sou medium, e achei loucurada da cabeça dela, + acredito, só não evolui o bastante, queria mesmo ajudar as pessoas, + como sempre coloco a carroça na frente dos bois, e quero chegar no final se antes ter começado, já tinha até me esquecido disso, hoje o que eu preciso é cuidar de mim e tentar salvar algo, porque eu quero ser feliz, quero ter um emprego que me satisfaça, quero fazer o bem, e não vai ser cartoamante que vai me dizer o que tenho que fazer, ela só me ta me mostrando um dos caminhos que devo seguir para me encontrar, crer, e orar, desenvolver meu espirito, para que eu, sozinha, descubra minhas habilidades e pra que estou aqui.
Sinto que tenho que ter pensamentos positivos e ter ceteza de que sou capaz, não tirar isso da cabeça, eu posso, eu consigo, e enquanto escrevo isso sempre lá no fundo tem algo me dizendo, ‘+ eu nunca consigo mesmo, isso é fato’



3 comentários:

Cineasta 81 disse...

Pra quem não estava nem um pouco afim de escrever até que você escreveu bastante.

Eu tenho uma técnica mágica pra manter o blog com o conteúdo minimamente apresentável, só escrevo quando estou afim.

M.Cesar disse...

Tá na hora de VC dizer pra esse algo la no fundo: Caaala tua boca!!

Oras... que "algozinho" lá no fundo mais chato, que nao quer cooperar, não é?

Sabe, as vezes quem tá de fora percebe a gente de um outro angulo bem interessante...quem sabe ta na hora de perceber esses seus angulos suuuper especiais?

Beijoooos Lu!!!

pimentinhabm disse...

eh horrivel qndo agente c aprisiona em algm e vive em funcao de tal!
te entendo!!!
viva menina com animo e mts amigos em volta!
=*