segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Ela



Maria, era assim que a chamavam, ela gostava, foi sua mãe que escolheu quando tinha sua idade e decidiu dar a filha um nome singelo, porém forte, nome de menina e mulher.
Havia duas semanas que completara 15 anos, ainda não tinha se acostumado com a idéia e quando lhe pergutavam sua idade sem pensar respondia 14, pensava que sua vida mudaria por completo depois das 24:00 do dia 10 de setembro de 2007, mas já se passaram 14 dias e até agora nada, seu corpo continuava esquelético ( era assim que se referia a ela, porém tinha um belo corpo para uma garota de 15 anos), continuava a fazer as mesmas coisas que fazia quando tinha 14 anos. Queria se sentir mulher, ter um corpo escultural, barriga sarada, seios fartos, mais não, era magra, sem peito (esse era seu maior pavor). Sua pele morena realçava o verde acinzentado dos seus olhos, era a combinação perfeita com seus cabelos pretos que já chegavam no meio das costa (queria deixar crescer até na bunda), não era nem liso nem encaracolado, era pesado e tinha um caimento perfeito, iria pintar de vermelo quando fisesse 15 anos, mais até hoje não criou coragem, tinha uma paixão com aquele cabelo que só vendo.
Uma voz grossa sempre saia da sua boca com lábios finos e dentes brancos, passuia um sorriso encantador, cativavante, um sorriso que quando posto a mostra transparecia sua alma, a alma de uma gorota feliz, cheia de idéias, cheia de vida e vontade de viver.

6 comentários:

Lua Durand disse...

uma flor.

um botão.

linny disse...

uma rosa perfeita.

lindo.

Fabrício; O Pensador disse...

Perfeito!! realmente genial!! digno de aplausos!! adorei!!

Jean Piter disse...

No lugar dela, com o que sei hoje da vida, iria querer ficar eternamente com 14! rs

No mais, bom texto outra vez. Gostei da sua foto, tá linda!

Un abrazo

JEAN PITER INZAGHI disse...

E um beijo!

Nathy disse...

Belo blog!!! Parabéns. Beijos!!